“A Máquina que Repete”, por Dan Bandeira.

Daniel Bandeira escreve no blog “A Preço de Banana” sobre Répéter:

A Máquina que Repete

O movimento. A contração de cada músculo, a intenção de cada gesto, até mesmo a mensagem cognitiva escondida naquilo que não se pensou em dizer, mas disse. A perna, o braço, o sexo, o abdômen e até mesmo aquilo que não se tem, mas que, tencionado pelo esforço, existe. A respiração, inspira-expira, a inspiração, que dá e que deu.

A dança!

Mas, o que é dança? Nas curvas na contemporaneidade, o que define a dança? Considero o movimento. O corpo, a música, o tecido, a projeção. Dança é aquilo que se mexe para dizer. Mesmo sem idéia, a dança diz o sentimento. É o que grita, sussurra ou se cala na instancia do movimento.

Muito se ilude quem chega ao Dragão do Mar às quintas-feiras esperando ver malhas coladas a corpos ululantes. O projeto Quinta com Dança leva ao palco espetáculos no significado mais puro da palavra: aquilo que nos desperta interesse. E Répéter desperta.

Em uma repetição de movimentos, o espetáculo do Teatro Máquina constrói e desconstrói o gesto. Repetir está na historia da peça, uma vez que ela é fruto de um esquete de 2006, intitulado “goodbye”. A cada apresentação, novos elementos somaram-se ao trabalho final. Esta é também a sistemática desenvolvida no próprio espetáculo: repetir, mas nunca ser igual. Quantas metáforas nisso tudo, hein? O grupo se chama máquina, é uma produção industrial, uma fabricação em série, movimentos cíclicos, tic-tac, a todo vapor. Porém, no que é vivo, há como manter o sistema? Essa é uma questão frequente na estética dos trabalhos do grupo.

A cada goodbye, a cada passo para dentro da cena, a cada pular de corda, a cada caixa entregue: uma nova percepção, uma nova ideia, uma nova love story. Cindo atores, ou bailarinos, ou performes, ou… Cinco seres, preenchidos de seis sentimentos em seis instantes, correm, param, andam e vivem os encontros e despedidas tão comuns à vida cotidiana. O banal em formas tão inesperadas. Isso é arte! É teatro, é dança… É simplesmente gostoso!

Répéter
Onde:
Teatro Dragão do Mar
Quando: 13, 19 e 20 de janeiro, às 20h
Quanto: R$1 / R$2

Quem: Daniel Bandeira
Contatos: @danbandeira / danielbandeira12@gmail.com
Sobre: um candango que já tá mais pra calango cearense. Estuda comunicação, mas prefere teatro. Desse bananal, é da ala de Dionísio; dos que não falam, mas declamam.

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: