Tembiú – Alimento de Alma – O Cantil

(…)

Espetáculo O Cantil convida o espectador, num silêncio sonoro, a se envolver com o enredo da peça, de maneira que ele próprio construa esse enredo mentalmente.

Nenhuma palavra é dita, a não ser na mente do espectador. O trabalho seria árduo, se não houvesse uma história dita pelas ações dos atores – divididos na cena em atores-bonecos e atores-manipuladores. História no corpo, precisamente codificado em seus detalhes. Lá se encontram expressos com primor os elementos da poética de Brecht: o estranhamento, por exemplo, por vezes apresentado em pausas fotográficas, paralisias na ação dos personagens.

Suspense. Repetição.

Se for preciso dar o cabido valor ao espetáculo criado pelo grupo Teatro Máquina, digo que é da ordem do imperdível. Uma obra de arte! Evoé, Teatro Máquina! Vida longa ao cantil!

(Juliana Carvalho, atriz e educadora)

O Cantil surgiu de uma vontade antiga de trabalhar com A Exceção e a Regra, peça escrita por Bertolt Brecht em 1938. Nesse novo projeto, o Teatro Máquina pretende enveredar pelo universo oriental, através do estudo e da experimentação de técnicas de manipulação direta e aparente, investigando as relações possíveis entre ator e manipulador, ação e representação, repetição e descoberta gestual.

No teatro convencional o ator já é um manipulador, porque manipula um corpo que não é seu, mas sim o do personagem. O boneco, portanto, seria uma extensão dessa idéia. Para a manipulação desse boneco é necessária uma atitude distanciada do manipulador em relação a ele, o que naturalmente já se dá no relacionamento com bonecos.

A pesquisa do grupo Teato Máquina pretende descobrir uma disciplina para o trabalho do ator, que propõe ao performer a possibilidade do anular-se, do ceder espaço, de se colocar em segundo plano para que a situação do personagem se revele através do boneco.

Então, perguntamos; “Como seria a relação entre o ator e o boneco? entre o ser e o não ser? entre o corpo imóvel na cena e o objeto?

Confira e confeccione tuas respostas!

(…)

Escrito por Juliana Carvalho no site TEMBIÚ – Alimento de Alma.

*

Outros sites falam de O CANTIL:

– VEJA São Paulo

– Guia da Folha

– Guia da Semana

Anúncios

2 pensamentos sobre “Tembiú – Alimento de Alma – O Cantil

  1. joão disse:

    quando vi o cantil pela primeira vez me pareceu estar diante de um trabalho onde a principio a emoção seria deixada de lado e a razão ganharia vez, ja que trabalha com manipulação e é preciso saber como e porque executar os movimentos. me enganei nesse sentido. me emocionei profundamente com o silencio que existe e ao mesmo tempo tão gritante em mim. não precisavam falar nada, estava presente diante de uma obra de arte maior do que conseguiria entender. belissimo

    • Aline Silva disse:

      João, obrigada por seu belo comentário, ele também nos emociona e é importante para continuarmos em frente. É um retorno maravilhoso.

      Um grande abraço.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: